Get the Gringo

Algumas lendas dizem-nos que, em tempos, Mel Gibson foi um actor talentoso e respeitável, com uma série de bons filmes impressionantes. Entretanto meteu-se também pela realização e produção de filmes, tendo igual sucesso. Hoje em dia, parece que um filme novo com Mel Gibson é visto com a maior indiferença possível. É um daqueles casos em que a vida pessoal destrói a vida profissional. Ainda assim, tudo isto é um pouco injusto.

Em Get the Gringo, Mel Gibson interpreta uma personagem designada por Driver, aquele que parece ser um nome cada vez mais comum para identificar protagonistas. Depois de ser apanhado com dinheiro roubado, perto da fronteira com o México, este é preso numa das prisões mexicanas mais peculiares. Funciona como uma pequena vila, controlada por uns poucos indivíduos com mais poder do que outros. A vontade do protagonista é resolver os problemas que envolvem o dinheiro por ele roubado, mas na estadia na prisão este conhece uma criança com os seus próprios problemas e, em troca de alguma ajuda para si próprio, decide fazer o que pode para os resolver. O argumento do filme vai alternando entre estes dois caminhos distintos.

Este é o regresso de Mel Gibson aos filmes de acção, algo que ele em tempos fez e muito bem. Não sendo brilhante em nenhum aspecto em particular, tem muito aquele aspecto de thriller clássico, como se via há umas décadas atrás. Há cenários bem construídos, uma banda sonora que dificilmente poderia ser mais adequada e uma boa quantidade de acção, misturada com humor. Gibson não faz uma enorme interpretação, parecendo por vezes que está demasiado descontraído, mas a personagem resulta. É credível e tem alguma piada, é o suficiente para funcionar.

Desde as primeiras cenas que ouvimos também a personagem de Mel Gibson a relatar alguns eventos, na primeira pessoa. Na primeira meia hora ainda é algo minimamente constante, mas a meio do filme desaparece por completo. No final, voltamos a ser lembrados dessa ideia que ficou pelo caminho. Ainda assim, independentemente de termos algumas informações adicionais dadas na primeira pessoa pela personagem principal, é difícil não se sentir um pouco perdido no início do filme. Vemos um ladrão a ser levado para a prisão, algumas cenas em que ele se envolve, alguma descrição do que se passa na prisão em si, mas é preciso esperar imenso até percebermos quem é aquela personagem e o que é que ela está ali a fazer. Deveria ser a principal preocupação desde o primeiro momento.

Get the Gringo é um filme um pouco old fashioned, para o bem e para o mal. Por pior que se fale de Mel Gibson actualmente, continua a ser um actor capaz de sacar algumas interpretações convincentes. Facilmente imaginávamos outro actor na pele deste Driver, mas dificilmente faria o mesmo trabalho que Gibson fez. Tem tudo, para daqui a uns anos, ser daqueles favoritos de Domingo à tarde na televisão, mas isso nem sempre é sinal de má qualidade.

Texto por Sandro Cantante

One response to “Get the Gringo

  1. Pingback: Estreias da Semana (07/06/2012) « Arte-Factos·

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s