Prometheus

Trinta anos depois Ridley Scott regressa à ficção cientifica, género que ajudou a definir com duas obras maiores do cinema, Alien e Blade Runner. Prometheus foi várias vezes anunciado como sendo uma prequela da saga Alien, a verdade é que no final isso acabou por não se comprovar. Embora seja uma prequela indirecta, ou seja, a história não se cruza objectivamente, mas existem vários elementos a ligar os filmes, Prometheus acaba por ter várias características da saga Alien, situando-se entre o primeiro e o segundo Alien, a nível de ambiente e estilo.

Afastado da glória desde Black Hawk Down, Scott tentou afirmar-se várias vezes com apostas algo ao lado. Prometheus teve uma campanha de marketing algo diferente dos últimos filmes de Scott. Usando a estratégia de promover tudo sobre o filme, menos o filme em si, Prometheus atraiu a atenção de muitos curiosos que nunca se interessaram pela saga Alien. No fim de contas o dinheiro feito é que traduz o resultado ou não do filme.

Prometheus começa com uma sequência algo enigmática, de um estranho ser no planeta Terra. De seguida a narrativa segue de perto a história dos protagonistas Elizabeth Shaw (Noomi Rapace) e Charlie Holloway (Logan Marshall-Green), o acordar na nave “Prometheus” e a sua crença de que irão encontrar alienigenas. Enquanto os outros personagens vão sendo introduzidos, quase sempre através de esteréotipos, Scott aproveita para ir levantando o véu sobre a história. Temos uma pequena apareição de Peter Weyland através de holograma e uma ideia indefinida sobre o resultado positivo desta missão. Um pouco ao estilo do primeiro Alien, Scott apresenta-nos os seus personagens através de diálogos pouco interessantes, mas que revelam rapidamente a natureza de cada um deles.

David (Michael Fassbender) é dos personagens mais bem explorados ao longo de todo o filme. Embora seja cruel dizer que os personagens de Prometheus são fracos, não podemos dizer que existam bons personagens. David é talvez o único personagem em destaque, fazendo esquecer o andróide Bishop dos filmes anteriores. Quanto a Elisabeth Shaw também é injusto dizer que é uma personagem fraca. Porém, fica muito aquém da mitica Ripley, possivelmente porque de Noomi Rapace para Sigourney Weaver ainda vai muito. Shaw parece uma Ripley falsa, muito mais fraca do que a “original”.

Os primeiros 45 minutos de filme são carregados de um suspense atípico. Não existem momentos de grande suspense nem sequências de acção, mas a forma como o realizador conduz a narrativa leva-nos a ficar inquietos durante esse tempo. Nota positiva para esta sensação inquietante e pela forma como Ridley Scott consegue manter o espectador interessado. A partir daí o filme só piora. David continua a explorar-se a si mesmo e a fazer evoluir a história, sendo o ponto positivo de maior destaque de todo o filme, mas os outros personagens parecem algo vazios e a história de criação do universo e origem do planeta terra parece não pegar.

Prometheus não tem nada que seja objectivamente mau. A realização está bem conseguida, como seria de esperar com um realizador com 40 anos de carreira; os actores estão bem, embora existam personagens mal explorados, como é o caso de Meredith Vickers (Charlize Theron); a história consegue ser interessante, embora não seja criativa nem acrescente muito ao universo de Alien. O maior problema de Prometheus prende-se com aquilo que revela. O Space Jockey era uma figura enigmática no mundo de Alien e a forma como “levantaram” o véu à figura leva tudo o que pensámos a cair um pouco no ridiculo. é interessante a forma como é explicada a origem dos seres humanos, como o Space Jockey está directamente ligado com isso. Mas por outro lado torna-se uma figura quase banal, sem qualquer carisma.

Pontos altamente negativos do filme: Sequência de luta entre Charlie Holloway-mutante e os restantes membros da tripulação; violência gratuita sem qualquer interesse; cena de luta final entre o Space Jockey e o polvo (?!). Prometheus não é um mau filme, é interessante e bem conduzido, com bons planos e um Michael Fassbender em excelente forma. Para um fã do Alien ou não, Prometheus consegue ser um filme bem conseguido de sci-fi, no meio da imundice que tem sido esse género nos últimos anos. Não é, porém, um filme que espante, nem que consiga atrair mais fãs à saga Alien. Esperava-se mais de Ridley Scott, mas também se esperava pior. Prometheus é competente, com alguns momentos interessantes, outros algo fracos, frutos de um excessivo uso de cenas comerciais.

É incrivel como ao fim de trinta e muitos anos, Alien continua a ser uma obra imensa, um thriller espantoso; que Aliens seja um filme de acção comercial excelentemente bem feito; e que Alien 3 seja um filme negro e perturbador tão bem elaborado. Prometheus dá mais brilho a esta trilogia, ficando muito aquém de qualquer filme da saga (excepto o último Alien). Contudo,  acaba por ser um filme interessante.

Texto por João Miguel Fernandes

10 responses to “Prometheus

  1. Dizer que “história consegue ser interessante, embora não seja criativa nem acrescente muito ao universo de Alien” é das afirmações mais erradas que já ouvi.
    Como em qualquer filme sci-fi do Ridley Scott, o verdadeiro interesse e genialidade está nos sinais que só alguém que conheça a história de antigas civilizações e as suas ideias de origem, passado e futuro do universo vai compreender. Se não vê apenas no Alien ou no Prometheus “violência gratuita” ou um bom ou mau thriller.

    A forma como o Prometheus liga os pontos deixados pelos outros filmes de sci-fi do Ridley Scott e James Cameron (porque são todos no mesmo Universo e estão cheios de pormenores que assustadoramente torna a relação entre eles reais) e ainda assim abre novas questões para explorar em muitos mais filmes é genial, sendo que falamos de um universo que já parecia cansado depois do Alien 4 (que mesmo assim é um dos meus preferidos) e ainda mais das parvoíces tipo Allien vs Predator 2.

    De qualquer forma, um estudo das crenças dos sumérios, egípcios, gregos e e de vários textos antigos, incluindo bíblicos, faz o Prometheus atingir níveis de interesse elevadíssimos para “geeks”. Sem uma construção teórica enorme por trás, sim, é apenas um filme mediano. Mas o Ridley Scott há anos que deixa mensagens incompreendidas ;)

    • Acho que o facto de dizeres que o Alien 4 é um dos teus preferidos revela tudo.
      Este “estudo” sobre as várias religiões ja foi explorado até no primeiro Alien Vs Predator. Sim, é interessante, mas acrescenta pouca coisa.

      JM

      • Os filmes não têm de ser todos obras primas do cinema. Os filmes de acção têm o seu lugar. O Alien 4 é um filme que cumpre os objectivos que tem, e ser idêntico aos outros em género não era um deles. É divertido, tem acção e dá uma faceta nova à Ripley. Sim é “irrealista” mesmo dentro do mundo Alien, e como disse, já é uma fase de saturação dos filmes. Mas não gostar do Alien 4 é como não gostar do Regresso do Jedi só porque tem “ursinhos” e não é tão “real” como os anteriores.
        O Prometheus apresenta uma alternativa ao nascimento do Homem que não descarta o evolucionismo de Darwin e bate certo com os relatos sobre Deuses e criação do Homem, incluindo de onde ele vem “nas estrelas” desde os sumérios até à Biblia. Vira completamente a ideia existente do Space Jockey e mostra a origem da espécie Alien. É só isto que acrescenta.
        Acredito que acrescente pouco nos pontos em que se estava à espera, mas o RIdley Scott fartou-se de avisar que não era uma prequela, apenas revelava coisas do mesmo universo e do próprio Alien. Percebo a desilusão de esperar outras respostas, mas não percebo que o filme desiluda.
        De qualquer forma, não critiquei a tua crítica, apenas a parte em que dizes que não acrescenta nada ao universo do Ridley Scott. De resto concordo com tudo o que dizes.
        Cumprimentos

      • Concordo com o que dizes inicialmente, os filmes não têm que ser todos obras primas. Mas um filme tem que ser minimamente bom, que é o que nao acontece com o Alien 4. Dizeres que não gostar do Alien 4 é como nao gostar do Regresso de Jedi devia ser punivel com pena de prisão. O regresso de Jedi é um dos melhores filmes da saga Star Wars, provavelmente o segundo melhor até. O Alien 4 é de longe o pior filme da saga alien. Razões? Realização fraca, história inventada às três pancadas, personagem idiota da Ripley, má interpretação de Winona Ryder and so on. Não é o facto de nao ser real ou de ser mais um filme do alien que o torna mau, é o facto de estar mal feito a vários niveis. Prometheus é um filme competente, não é mau nem nada que se pareça. É até uma surpresa em vários sentidos. Quando digo que nao acrescenta nada ao universo do alien refiro-me a acrescentar algo que considere positivo. Aquilo acrescenta muita coisa, até demasiada, que é o que para mim estraga a magia do filme. Os primeiros 45 min são muito bons, mas a partir daí o filme cai bastante em qualidade. Acho que o ridley scott nao se aguentou e soltou tudo o que tinha, cenas de acção fracas e desmedidas, revelaçoes a mais, o space jockey torna-se quase uma personagem banal, um gajo azul grande…

        Cumprimentos,
        JM

      • Bem, a única coisa que compreendo aí é dizeres que o Regresso do Jedi pode bem ser o segundo melhor e que a Wynona Ryder ficou aquém. De resto, limito-me a dizer que o 4 é divertido de ver e a Ripley consegue durante a primeira metade do filme despertar curiosidade. O 3, esse sim, é completamente pointless, apesar de acrescentar dados interessantes à história, como filme é secante e óbvio do principio ao fim. Para mim, o 3 é o pior da saga.
        O motivo da comparação com o Regresso do Jedi é que toda a gente tende a criticar os últimos filmes de cada saga.

      • Pois, eu entendo essa comparação, mas por acaso o Regresso de Jedi é dos melhores Star Wars. Aliás, o Star Wars 3 é o melhor da nova saga, o Predator 3 está melhor que o 2. O die Hard 3 é provavelmente o melhor (ou está empatado com o 1º).
        Em relação ao Alien, sou um grande fã do 3º, mas percebo o que queres dizer. Compreendo que não se goste. Quanto ao 4º, aí é que já não sou capaz de concordar.

        Cumprimentos e obrigado pelo debate

      • Estamos de acordo em quase tudo menos no prometheus e alien 4, já não é mau ;) Obrigado eu por manteres o arte-factos interessante e actual, cumprimentos!

    • Pois não. Uma critica pode ou não conter spoilers, que é o que acontece neste caso. Se o leitor viu o filme reparou tambem que nao contei muita coisa. Está expressa a minha opiniao, patente no que vi, como é natural.

      JM

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s