Bizarra Locomotiva + Anarchicks no Musicbox (22/06/2012)

Texto por Cláudia Filipe / Fotos por Cláudia Andrade

A passada sexta feira foi de festa na MusicBox. O motivo foi a comemoração do décimo aniversário da produtora Droid ID, que montou festa rija, como se esperava: DJs, VJs e a actuação das Anarchicks preencheram a noite, mas os icónicos Bizarra Locomotiva, cujo concerto foi inclusivamente gravado para a terceira edição do Club Docs, foram reis.

No feminino começou a festa com as simpáticas e electrizantes Anarchicks a subir ao palco e a brindar os presentes com as suas composições, que em muito vão beber ao movimento post-punk. Nem o ombro deslocado da baterista, que teve de recorrer ao auxílio de gravações, as impediu de fazer menos barulho e, consequentemente, puseram alguns pés na plateia a mexer e corpos a abanar. “Bored”, que também é a primeira faixa do EP de estreia “Look What You Made Me Do!“, iniciou a actuação, onde pudemos ouvir não só todos os temas que compõe o citado lançamento, como também diversas músicas mais recentes. Ao som de “Rockstar”, despediram-se de um público que começava a ansiar por o que aí vinha…

Começava a sentir-se a ansiedade a aumentar e as expectativas a subir. Os Bizarra Locomotiva, destruidores por onde passam, iam percorrer os seus quase 20 anos de carreira, seleccionando os temas mais emblemáticos para preencher uma actuação especial, que marcou o arranque da terceira edição do Club Docs, série de documentários musicais.

Os exímios impulsionadores do industrial em Portugal tomaram conta do palco com mestria para uma actuação que foi toda ela um ponte forte, sem quebras registadas: agarraram o público do início ao final da actuação, que por sua vez se entregou totalmente à máquina liderada pelo inigualável e polarizante Rui Sidónio, carismático frontman da banda. Em “Apêndices” do primeiro álbum da banda, já se gritava “escumalha” em uníssono, e foi assim que o concerto prosseguiu até ao final, com especial relevância na recepção de temas como “Gatos do Asfalto”, “Se Me Amas” (original dos Xutos e Pontapés), “Cada Homem” ou a poderosa “O Anjo Exilado”, do “Álbum Negro” editado em 2009. Avassaladores, deram um concerto incrível onde cada nota, cada desconcertante verso assolava os presentes. Rui Sidónio, encarnando esta Locomotiva mais bem oleada do que nunca, mostrou mais uma vez ser um maquinista perfeito, ao conduzir o seu público nesta viagem, transmitindo-nos na perfeição toda a revolta inerente às suas composições. Apesar de toda a introspecção, corre para perto de nós, para estar mais perto e entregar de forma mais eficiente a sua mensagem. Sem darmos por isso, passou-se uma hora e meia na melhor das companhias, e vemos chegar o final com a não menos carismática “O Escaravelho”.

Mais uma grande actuação dos Bizarra Locomotiva, a mostrar porque é que são uma das maiores bandas nacionais. Nos nossos ouvidos ainda ecoam os riffs possantes que pautaram todo o concerto. Mal podemos esperar pelo resultado final do documentário e recordar aquele que foi um dos grandes concertos deste ano até à data.

Setlist:

1 – Epílogo (Sobre Os Teus Ombros)
2 – Apêndices
3 – Ultraviolência
4 – Druídas
5 – Growth Pains
6 – Fear Now
7 – Gatos do Asfalto
8 – Câmara Ardente
9 – Cavalo Alado
10 – Se me Amas
11 – Homem Máquina
12 – Cada Homem
13 – Buraco Negro
14 – Desgraçado de Bordo
15 – O Frio
16 – Ergástulo
17 – Engôdo
18 – O Anjo Exilado
19 – O Escaravelho