Process of Guilt + A Tree of Signs na ZdB (16/06/2012)

Foto por Cláudia Andrade (Amplifest ’11)

Texto por Cláudia Filipe

O FÆMIN ser um dos discos do ano já é praticamente dado adquirido (falo de panorama nacional e fora dele). Por isso, expectativas muito elevadas para ouvir o novo álbum de Process of Guilt ser reproduzido ao vivo aquando da sua apresentação oficial pela capital. O cenário escolhido para o evento foi a Galeria Zé dos Bois.

A festa de celebração do lançamento teve direito a convidados especiais. Na primeira parte estiveram os A Tree of Signs, naquela que foi a sua estreia ao vivo. O mais recente projecto de N.H. (Corpus Christii) tem na base da sua criação muitas características do rock dos anos 70, por isso talvez não seja de admirar que comecem a surgir as primeiras comparações a Black Sabbath e outros que tais. Mas a voz é feminina e pertence à sueca V-Kaos, feita Grace Slick dos tempos modernos. Para concerto de estreia registamos alguns apontamentos interessantes, especialmente no poder e impacto das linhas de baixo doomísticas, mas sentimos por outro lado que há ainda um caminho a percorrer e arestas a limar, especialmente no que toca às teclas e à voz, que se quer mais possante neste tipo de registo.

Hora de Process of Guilt subirem ao palco. Hora da coroação de FÆMIN (que já tivemos o prazer de ver explicado na nossa rubrica Faixa a Faixa), tocado na íntegra, apenas com uma pausa para se ouvir o tema Lava, um dos mais poderosos do disco anterior Erosion.

Já muita tinta fez correr este lançamento, focando no poder que tem e na enorme evolução de som que houve na banda, que se afasta daquilo que tradicionalmente entendemos por doom, para lhe começar a encaixar um certo prefixo de post atrás. Esta mudança acaba por acontecer naturalmente, já que em Erosion se adivinhava uma transição quando comparado com Renounce, disco de estreia (mas, numa nota pessoal, tenho de confessar que sinto falta da melancolia da Becoming Light). Para quem ainda não está totalmente convencido, FÆMIN ganha toda uma nova dimensão ao vivo, adquire outra grandiosidade.

Foi uma noite muito bem pensada na ZdB onde se ouviu um dos grandes álbuns deste ano ser tocado com mestria. Aguardam-se oportunidades para repetir a experiência e podermos assimilar melhor cada compasso que compõe FÆMIN.

Setlist:
Empire
Blindfold
Lava
Harvest
Cleanse
FÆMIN

Deixar uma resposta