4:44 Last Day on Earth

Durante o filme vemos jornalistas a dar notícias, rapazes chineses a entregar comida e pessoas a passear nas ruas sem qualquer preocupação. Seria normal, não fosse esta uma peça sobre o fim do mundo, relatando o último dia da sua existência. Uma coisa é certa, estes vão ser 85 minutos que vão querer de volta na altura em que pensarem o que fizeram com as vossas vidas, seja ou não no vosso último dia na Terra.

O mundo vai acabar às 4:44 do dia seguinte ao que a história do filme se centra e vemos a forma como duas pessoas, Cisco e Skye, passam os últimos tempos. Como seria de esperar, o fim do mundo está relacionado com os actos irresponsáveis do Homem ao longo dos tempos, sendo esse um dos pontos que o filme foca. A acção divide-se entre a visão do casal e imagens televisivas, na grande maioria localizado no apartamento das duas personagens principais. Não é fácil fazer um parágrafo inteiro sobre a história do filme quando, na realidade, o título já diz tudo o que é preciso saber.

É um dado adquirido que o mundo vai acabar dentro de algumas horas, mas Cisco é a única pessoa que se parece preocupar com isso. Vemos directos na televisão, pessoas a passear pelas ruas, restaurantes abertos… Tudo menos alguém preocupado com o facto de estar a viver o seu último dia. Isto não seria problemático para o filme se a história das personagens principais fosse interessante. Não é, nunca sabemos quem são realmente aquelas duas pessoas, porque decidiram passar o último dia sozinhos e porque acharam boa ideia passar o tempo a fazer pouco mais que nada.

As imagens televisivas e as conversas no Skype aparecem em demasiada quantidade, sendo praticamente desnecessárias. Especial destaque, pela negativa, para a longa conversa (não traduzida) entre o miúdo chinês e a família. Comovente? Não. Interessante? Impossível dizer. Desnecessário? Completamente. Esperavam-se diálogos profundos e cheios de significado, mas é raro aquele que tem um único significado que seja. O final, pouco antecipado, não destoa em termos de qualidade, sendo o único ponto positivo dar por concluído o filme.

4:44 Last Day on Earth  desperdiça de forma incrível uma ideia que, ainda que pouco original, era boa. Parece intressante centrar a acção de um filme sobre o último dia na terra em apenas duas pessoas, mas não era fácil fazer com que fosse funcionar. Podia correr muito bem, mas aconteceu o oposto. É um filme curto, onde grande parte da acção é pouco interessante e a restante é aborrecida. Tão recomendável como passar o último dia na terra a servir comida chinesa.

Texto por Sandro Cantante

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s